Ressecção Transuretral da Próstata garante mais conforto no pós-operatório


A próstata é uma glândula exclusivamente masculina. Localizada próxima à bexiga, é

atravessada pelo canal uretral e quando tem seu tamanho aumentado, pode causar obstrução ao fluxo de urina, dificultando a micção.

A hiperplasia benigna da próstata é um aumento não canceroso do órgão que comprime a uretra, obstruindo o fluxo de urina podendo causar lesões renais.

Estima-se que 90% dos homens acima dos 80 anos de idade apresentam HPB, por isso, são os que devem ter mais atenção aos sinais de crescimento anormal da próstata, que pode causar:

  • Sensação de que não esvaziou a bexiga completamente

  • Vontade de urinar constante à noite

  • Fluxo lento de urina

  • Infecções ou pedras na bexiga

Em casos brandos, quando as funções do sistema urinário e da próstata não são

comprometidas, a profilaxia é suficiente, mas quando o aumento de tecido adenomatoso

prostático causa complicações na excreção e passa a interromper de forma mais acentuada a passagem de fluidos pela uretra, torna-se necessária a avaliação do médico urologista, para determinar o tipo de tratamento apropriado. Em casos extremos, e para pacientes idosos, indica-se a RTU.

A Ressecção Transuretral da Próstata, também conhecida pela sigla RTU, consiste num

procedimento cirúrgico indicado para casos de HPB, a Hiperplasia Prostática Benigna, que pode atingir homens de todas as idades, embora seja mais frequente em maiores de 40 anos. O diagnóstico é feito com exame de toque retal, para detecção de crescimento da próstata e ocorrência de possíveis nódulos.

Para desobstrução da uretra e retirada do excesso de tecido adenomatoso, normalmente o médico urologista utiliza endoscópio, introduzido pelo pênis. O paciente pode ser anestesiado completamente ou via raquidiana – apenas da cintura para baixo. O procedimento pode ser feito com laser, também empregado para remoção de resíduos pós-operatórios no interior do trato urinário, o que acelera a recuperação e evita possíveis infecções.

Embora sejam muito pouco frequentes, pode haver complicações após a realização de RTU. A principal delas é a presença de sangue ou coágulos na urina. Outra eventual e rara complicação é a síndrome de ressecção transuretral de próstata, cujos sintomas são, entre outros, a aceleração nos batimentos cardíacos, agitação, náuseas e vômitos.

O tempo de internação após a cirurgia varia entre 2 e 3 dias, podendo até ser de apenas 24 horas, caso seja utilizado laser.


#RTU #HPB #posoperatorio #urologia #uroclinicms

50 visualizações0 comentário